O branding por trás de Game of Thrones

Que a série mais comentada ultimamente, Game of Thrones, está fazendo um sucesso danado todo mundo já sabe. A produção da HBO baseada nos romances de George R.R. Martin já foi considerada uma das mais caras (pasmem) com um valor estimado de US$ 10 milhões por episódio e um custo total de quase US$ 100 milhões por temporada. Mas não para por aí, a galinha dos ovos de ouro da HBO movimenta milhões em outra esfera, a dos negócios e do marketing.

Game of Thrones também trata de diversidade de gênero

A sétima temporada, que foi ao ar ontem numa maratona no canal fechado, trouxe muito mais que entusiasmo aos fãs ao redor do mundo, ela retomou o ritmo de negócio em torno de seus produtos. A trama, inclusive, é apontada por muitos especialistas e fãs como uma verdadeira aula de marketing. Alguns profissionais do mercado de entretenimento correlacionam as histórias da série com uma batalha diária de marcas e empresas.

“Assim como as marcas, cada casa busca desenvolver uma identidade própria: logo, slogan, atributos, expressão storytelling. Por exemplo, a casa Lannister cujo brasão ou logo é um leão dourado, tem como slogan ou posicionamento de marca: ‘A Lannister always pays his debts’. Adicionalmente a história da casa reflete muito de sua personalidade: uma das famílias mais ricas, antigas e poderosas de Westeros. Quando se expressa, faz uso das palavras ‘hear me roar’ denotando toda sua potência e arrogância”, diz Luis Martini, CMO do Omelete Box.

As estratégias de marketing de cada uma das casas de GoT

Para Matheus Machado, CEO da Loja Mundo Geek, há uma correlação direta entre as disputas das casas de GOT e a competição direta das marcas em determinado setor. “Assim como as marcas, as casas estão na disputa direta pela liderança ou hegemonia de seu território. Para isso, cada casa traça uma estratégia distinta com objetivo de conquistar o Trono de Ferro. Conquistar o trono tem um simbolismo equivalente à liderança de mercado e tudo que isso representa, como, por exemplo, vantagem comercial”, diz Machado.

Concorrência e disputa, inclusive, dão o norte da série. Logo na primeira temporada, a série ensina sobre novos entrantes no mercado e querem mostrar serviço. Neste cenário, ética não é algo muito comum. A própria HBO foi cirúrgica para transformar Game of Thrones em um produto perfeito para o marketing. “Planejamento! Cada passo, cada imagem, cada trailer, cada pôster tem um motivo para estar ali, que é deixar os fãs ansiosos, falando sobre seu produto. Vamos lembrar que GOT é uma série com temporadas curtas, de 10 episódios em um ano com 52 semanas. Ou seja, temos 42 semanas sem Game of Thrones e mesmo assim, a série é uma das mais aguardadas e uma das mais assistidas da atualidade”, diz Marcelo Forlani, sócio-fundador e diretor criativo do Grupo Omelete.

Renilbert, a nova aposta do iFood

O iFood está em uma zona de conforto favorável, o roteiro é sempre parecido e ainda assim conseguem tirar boas risadas do público. Depois de apostar em Fábio Porchat, Bela Gil, entre outros famosos, agora a estrela dos comerciais do app delivery é Rodrigo Hilbert. Com um nerd que não entende nada de cozinha e o mais novo queridinho das telas quando o assunto é gastronomia, criaram uma terceira pessoa, o Renilbert, que seria uma junção dos dois.

Assista:

Renilbert – iFood

“Nesta campanha, apresentamos a assinatura ‘Para qualquer fome. iFood’. Com mais de 20 mil restaurantes cadastrados em nossa base, o iFood resolve a fome que for, de quem for, onde for e na hora que for, por mais específica que seja. ”, conta Arthur Santos, Diretor de Marketing do iFood.

Para a construção do personagem, foram necessárias pelo menos 4 horas de trabalho coordenado pelo caracterizador Westerley Dornellas. Criado pela AlmapBBDO, o comercial tem versões de 30, 15 e 5 segundos, foi inserido pela primeira vez no intervalo da novela das 21h na Rede Globo.

O cara responsável pelos jingles que não saem da cabeça da gente

“Gostoso, cremoso, quando acaba a gente quer de novo”. Certamente você leu esse começo de texto e cantarolou junto o jingle do iogurte grego da Vigor, certo? Você acredita que a campanha começou a ser veiculada há três anos? Essa é apenas uma pequena demonstração do potencial da música para engajar pessoas e, consequente, gerar lembrança de marca. Mestre nessa arte, o sócio fundador e diretor musical da Comando S, Serginho Rezende, bateu um papo com a gente sobre o poderoso casamento entre o som e a propaganda. Confira:

O que você pode dizer sobre a conexão entre músicas e marcas?

As marcas se apropriam muito da memória das pessoas através da música. Essa memória já está estabelecida na sua cabeça quando você ouve um clássico, geralmente uma canção bastante conhecida. Então temos dois caminhos. O primeiro é a coisa do recall, que faz com que o público associe essas músicas às marcas, com alto poder de retenção sobre essas pessoas. Por outro lado, muitas vezes, as marcas também buscam se associar a imagem dos artistas, sobretudo os que têm a ver com seus propósitos e discursos.

Este cenário multiplataforma e hiperconetcado, cada vez mais desafiador para as marcas, reforça a música como instrumento para engajar?

Sim, principalmente porque através da música as marcas têm a oportunidade de pegar carona em coisas que já estão no inconsciente das pessoas. Além disso, quando vamos para internet, por exemplo, abrimos o leque de possibilidades, e isso facilita a produção e o processo de seduzir o público alvo. Quando estamos presos na televisão e no rádio, temos apenas as mídias caras e geralmente o tempo de trinta segundos. O desafio é o seguinte: em meio a tanta coisa, você vê claramente a função da arte como um grande elemento para reter o público… E para segurar alguém hoje em dia é preciso ter um conteúdo interessante, com boa música e bons artistas.

Como esse novo mundo digital, que inclusive resgata personagens musicais que não estão mais no mainstream da música, contribui para dar mais opções dentro deste casamento entre as canções e as marcas?

É bom para todo mundo. De um lado você tem a marca fazendo um baita investimento de mídia, colocando de volta a música daquele artista para tocar, e isso também acaba gerando shows e aparições públicas. Isso aconteceu recentemente com a banda É o Tchan, por exemplo, que agora voltou a gravar discos e fazer shows por aí. Quer mais um caso? Acabamos de gravar um comercial da Brahma ao som de “O amor e o poder”, da cantora Rosana. E depois gravamos “Aguenta Coração”, do Zé Augusto. Os artistas ficam contentes com o trabalho, ganham com isso, e também se posicionam de uma forma positiva.

 

Como estão as coisas na Comando S?

Estamos agora completando 13 anos. Como eu costumo dizer para o pessoal, já somos a “mais nova” produtora madura do mercado. E daí olhando para o nosso histórico, o nosso passado, a gente percebeu que há uma demanda muito grande dos clientes em nos procurar para produzir e criar músicas e também gravar com os mais diversos e estourados artistas. Isso significa que ao longo dos anos acabamos ganhando muita expertise em fazer essa intermediação entre marcas, artistas e agências. Somos bons em fazer esse meio de campo. Já fazíamos isso de uma forma ou de outra, mas agora resolvemos oficializar um novo produto aqui na Comando S: a assessoria musical. A ideia é facilitar o acesso e a negociação com o artista, incluindo gravadora, editora, agência e cliente.

Quais são os desafios para as produtoras neste momento no Brasil, com o país instável economicamente?

Acho que temos aí, em primeiro lugar, o desafio da eficiência. É uma consequência não apenas do momento do Brasil, mas também uma demanda do mundo capitalista. Todo mundo precisa entregar mais, melhor, no melhor prazo e com o menor custo. E eu não vejo isso apenas na propaganda, eu vejo em todo lugar. O sarrafo é muito alto. Estamos engajados com isso e acho que o meu lado engenheiro tem me ajudado nesse aspecto. O engenheiro é um cara treinado para resolver o problema e melhorar a engrenagem para funcionar melhor. É um ciclo que tem dado certo. Temos comemorado muita coisa boa nos últimos anos. Estamos meio na contramão do momento do país, superando as nossas metas e conquistando novos clientes.

O que você destacaria como um grande diferencial competitivo da Comando S?

Música. Já me perguntaram isso e a resposta é sempre a mesma. Nós somos muito dedicados à música. E isso não é nem uma coisa de dentro pra fora. É de fora para dentro. Recebemos muitas demandas neste sentido. As pessoas lembram-se da gente quando pensam em canções para engajar. Tem muita gente que nos procura, por exemplo, quando quer um jingle chiclete. Não estou nem falando sobre o que eu sou, mas sobre o que as pessoas acham que a gente é. O mercado nos enxerga assim.

Quais são os últimos trabalhos pelos quais você se apaixonou nos últimos meses?

A música da Vigor, por exemplo. As pessoas lembram e a propaganda já tem três anos. Tem a do Michel Teló, para a Maquinha do Uol, que também é muito legal. E a da Brahma, que também já conversamos, e é bem interessante.

 

Bob’s faz campanha para Rock in Rio com Supla e Felipe Neto

Patrocinador do Rock in Rio e fornecedor oficial de hambúrguer do festival, o Bob’s lançou no último dia 10 a promoção Rock in Trio.  A novidade inclui o lançamento dos mini burgers Big Bob, Cheddar e Barbecue, além dos seis modelos de copos exclusivos do evento. A campanha foi criada pela agência NBS e conta com o youtuber Felipe Neto e o cantor Supla, que é o protagonista da ação. No filme, um garoto com estilo roqueiro anda pelas ruas comendo um mini Burger do Bob’s e várias pessoas o cumprimentam fazendo o sinal do rock’n roll.

O plano de mídia ainda conta com uma ação digital. O youtuber Felipe Neto baterá um papo descontraído com Supla. Eles vão citar algumas atitudes consideradas rock’n roll e quem já fez o que for mencionado experimenta um dos mini burgers do Bob’s. A conversa vai ao ar hoje no canal do Felipe Neto (hambúrguer), no YouTube.

A rede Bob’s tem expectativa de alavancar as vendas de sanduíches em até 10%, com o lançamento dessa novidade. De acordo com o diretor de marketing da rede Bob’s, Carlos Pollhuber, existe uma parceria de sucesso firmada há anos entre Bob’s e Rock in Rio. “A nossa comunicação, assim como as nossas lojas, já estão começando a entrar no clima do festival. A nossa parceria, Bob´s e Rock in Rio, sempre foi de resultados muito positivos.”, afirma Pollhuber.

Cielo aposta em campanha bem humorada com Adnet

Se rir é o melhor remédio, pode ser também o melhor negócio. Não á toa, Marcelo Adnet é o protagonista da mais nova campanha de Cielo, criada pelas agências Y&R e Wunderman. Com uma estratégia robusta e integrada, o trabalho de comunicação conta com 24 filmes protagonizados pelo humorista, mais de 150 formatos de conteúdo para redes sociais e uma plataforma inédita desdobrada em diferentes URLs para cada tipo de negócio.

O objetivo é dar vida ao conceito “Seu negócio não para” e mostrar os serviços da Cielo para os mais diferentes tipos de negócio sob a ótica dos próprios clientes da companhia, que estão no centro da comunicação. “A campanha reflete o que vivemos na companhia – totalmente voltados para o cliente, que sempre esteve no centro de toda e qualquer decisão de negócio”, afirma Duda Bastos, diretora de Marketing da Cielo.

Nos 12 filmes para TV, Adnet se transforma em um personagem para representar, de forma lúdica, um cliente daquele segmento.  “A ideia é amplificar o conceito de que, se o empreendedor tem Cielo, seus negócios não param, estão sempre a todo vapor, girando, vendendo”, comenta Rafael Pitanguy, VP de Criação da Y&R. Já nos 12 vídeos para web, Adnet fala sobre cada benefício que a Cielo proporciona aos diferentes tipos de negócio.

“A nova campanha da Cielo traz uma linguagem 100% verdadeira e com tom otimista, mostrando a atitude ‘mangas arregaçadas’ de vários tipos de empreendedores e as soluções criativas que adotam para que ninguém pare de vender, inovar, faturar”, afirma Paulo Sanna, CCO da Wunderman. A partir de uma extensa pesquisa de dados, conduzida pelas agências em parceria com a produtora New Content, foram ouvidos mais de 700 clientes em todo o Brasil para identificar as histórias que ajudassem a empresa a mostrar que sua vocação é fazer com que os negócios não parem, independentemente do tamanho ou do segmento.

 

FICHA TÉCNICA – Y&R
Cliente:
Cielo S.A.
Produto: Institucional
Agência: Y&R
Títulos: Restaurante, Barraca de feira, Salão de beleza, Sacoleira do Brás, Mercado, Loja de roupas, Dentista e Posto de gasolina
Duração: 15”
VP de Criação: Rafael Pitanguy
Redator: Christian Fontana
Dir. Arte: Mozar Gudin
Atendimento: Leonardo Balbi, Fabio Klein e Marina Madureira
Aprovação Cliente: Duda Bastos, João Bell, Marcella Guerrero, Natalia Garutti e Felipe Zulatto
Planejamento: Tatiana Tsukamoto, Fulvio Silvestrini e Felipe Azambuja
Mídia: Gustavo Gaion, Glaucia Montanha, Patricia Russo, Patricia Oliveira e Vinicius Martinelli
RTVC: Nicole Godoy, Camila Naito e Monica Beretta
Produtora Filme: Cine Cinematográfica
Direção: Clovis Mello
Direção de Fotografia: Fernando Oliveira
Direção de Arte: Miwa Shimosakai
Produção Executiva: Raul Doria
Atendimento Produtora: Jordana Ribeiro e Gabriel Toretto
Montagem: João Branco e Clovis Mello
Pós-produção/finalização: Cine X
Produtora de som: Antfood
Produtor: Lou Schmidt, Pedro Curvello, Vinicius Nunes e Wilson Brown
Produção: Equipe Antfood
Atendimento: Christiane Rachel, Renato Castro e Pedro Botsaris
Data de produção: junho/2017

FICHA TÉCNICA – WUNDERMAN
Cliente:
Cielo
Produto: Institucional
Agência: Wunderman
VP de Criação: Paulo Sanna
Direção-geral de Criação: Adriano Abdalla
Direção de Criação: Fernando Tomeu e João Paulo Martins
Direção de Arte: Danillo Ferrari, Lucas Santos, Júlio Campos, Vitor Rosato, Wagner Santos e Tiago Cordeiro
Redação: Jaime Agostini, Zé Ricardo Novoa, Suzana Demetrio e Camila Piagge
Arquitetura de Informação: Vanessa Talarico, Euriz David, Fábio Lino e André Barella
Desenvolvimento: André Mattos, Jeremias Pak e Daniele Castilho
Gestão de Projetos: Sergio Porro, Laís Gurgel e Raissa Souza
Atendimento: Caio Bamberg, Tatiana Magliari, Isabel Castro, Michelle De Bellis e Marcus Avena
Planejamento: Marcio Beuclair, Juliana Laporta, Simone Santos e Carolina Saegesser
Social Media: Thais Oliveira, Gustavo Valvassori e Guilherme Camargo
Mídia: Bruno Antunes, Daniela Caporali, Debora Domingues, Nadia Zoghbi, Pericles Pires, Railson Oliveira e Rodrigo Kina
BI: Ernando Bressan, Caio Capolete, Henrique Tardelli e João Oliver
Aprovação Cliente: Duda Bastos, João Bell, Carolina Short, Marcella Guerrero, Natália Garutti, Grazielle Schneider, Felipe Zulato e Rogerio Miranda

Plataforma de conteúdo: New Content
Diretor-geral de Criação: Beto Feres
Diretor de conteúdo: Eder Redder
Conteúdo: Alexandre Nobeschi, Patrícia Gebara e Gabriel Bentley
Diretor de vídeo: David Feldon
Diretor de fotografia: Marco Antônio Ferreira da Silva
Diretor-geral de Operações: Raphael Alcântara
Atendimento: Luciana Forster e Nicolle Ifanger
Produção: Andressa Caruso e Bruna Prado
Produtora de Áudio: Mugshot

Revista de 2 metros derrete na Av. Paulista para alertar sobre o aquecimento global

O mundo está se modificando ao passar do tempo, as mudanças climáticas estão cada vez mais severas e a Antártida derrete mais a cada ano, mas por ser um problema distante, as pessoas dão menos importância. Para alertar sobre o aquecimento global, a National Geografic criou uma ação com a Spokesman no último dia 6 em que tem uma capa de revista de 2 metros derretendo, com o título de “A Antártida Derrete” em plena Av. Paulista.

A primeira ação neste formato teve Live no Facebook e alcançou 103 mil usuários. Nas transmissões ainda houve um bate-papo com Ronaldo Ribeiro, editor da revista, Vivian Pellizari, professora da Oceanografia da Universidade de São Paulo, e Camila Signori, oceanógrafa, sobre o degelo do continente.  Confira:

O painel gelado ficará exposto por pouco tempo, para mostrar a urgência da causa. “Temos um compromisso histórico com a divulgação das mais relevantes pesquisas científicas. Nos últimos três anos, foram mais de 30 reportagens sobre o tema. O empenho da revista é entender – e ajudar o leitor a entender – todas essas transformações ambientais, buscando descobrir um modo de vida mais sustentável”, disse Fernando Dias Martins, publisher da revista.

UberEATS e Brahma Extra vão distribuir cerveja nesta quinta feira

A Brahma Extra e o UberEATS farão, nesta quinta-feira (6), o UberExtra, uma parceria que leva dicas de combinações para os pratos disponíveis no aplicativo de delivery e distribuir gratuitamente Brahma Extra, nas variantes Lager, Red Lager e Weiss.

Quem pedir pelo UberEATS, vai receber a cerveja em casa. O app atua em São Paulo desde dezembro e chega, também nesta quinta, ao Rio e BH. A entrega está limitada à duração dos estoques. Serão 30 mil packs distribuídos.

Para receber o kit com as três versões da nova Brahma Extra, basta baixar o app do UberEATS, preencher o cadastro e procurar pela loja da Brahma Extra. Depois, é só selecionar o kit, fechar o pedido e pronto: um conjunto com três cervejas estará a caminho, sem nenhum custo – nem mesmo o da taxa de entrega. O pedido virá acompanhado com um guia especial mostrando as possíveis combinações de cada uma com comida. Além disso, os consumidores poderão abrir, no próprio aplicativo, uma aba que traz indicações de pratos disponíveis no UberEATS que podem ser harmonizados.

“Com essa ação, os usuários do UberEATS em São Paulo e os novos usuários, no Rio e em Belo Horizonte, terão uma experiência que eleva à máxima potência toda a tecnologia por trás da plataforma. Além de poderem fazer o seu pedido ao toque de um botão, eles poderão acessar, dentro do próprio app, uma seleção de pratos que melhor combinam com cada uma das opções de Brahma Extra”, afirma Delon White, diretor-geral do UberEATS no Brasil.