Uma agência digital no coração da Baixada Fluminense que fez os pequenos empreendedores serem notados

Conheça a galera que teve uma ideia genial para a era digital e aproveite para se inspirar no exemplo de quem teve uma infinidade de dificuldades mas mesmo assim encontraram espaço para inovar com criatividade.

 

Petter Oliveira

Nordestino criado a cidade maravilhosa, passou a adolescência na sua cidade natal e voltou ao Rio após os 18 anos para conciliar o jornalismo com o rap. Ele fez de tudo um pouco, largou a escola, lavou pratos, vendeu bala no sinal, trabalhou em oficina cultural, fez shows de rap, virou jornalista, gravou vinheta para a Globo, passou para universidade federal, largou a faculdade de produção cultural, virou repórter da Globo, virou pesquisador de programa de palco da Globo, largou o rap, virou nerd das métricas de social media e, por fim, pensou em um negócio que para alguns, era loucura total.

 
Cristiane Oliveira

Negra, de família pobre, passou a infância de casa em casa de parentes, foi mãe aos 14, teve três filhos, já foi ambulante, vendedora de banco, empreendedora nata, dona de bar, virou produtora cultural, professora do projovem urbano, entrou para faculdade de pedagogia, saiu da faculdade de pedagogia, entrou pra faculdade de produção cultural no IFRJ, saiu da faculdade de produção cultural, abriu um louco negócio de social media com o marido e tornou-se a criativa mais “sagaz” do photoshop.

 

De onde veio a ideia para começar?

A ideia do #TudoNosso nasceu em 2011 mas era bem diferente do que se tornou. Tratava-se de criar uma rede para unir as prestadoras de serviço da Baixada, estávamos trabalhando em outras coisas e a #TudoNossoProduções era uma proposta ainda imatura pra gente, queríamos fazer circular a coisa do “fazer cultural” e valorizar mão de obra técnica e artistas locais.

Logo depois percebemos que o projeto não se sustentaria por si só como negócio, tínhamos que amadurecer essa ideia. Nos demos conta de que o técnico de som, o iluminador, o músico, a atriz, entre outros agentes, seriam beneficiados, mas os demais agentes econômicos do entorno, não. E o tio da pipoca na entrada do teatro? E a tia do crepe que colocava sua barraca no dia do show? E o curso de idiomas que apoiava o evento? Todos estes ficariam de fora. Vimos que tinha uma galera boa que tinha que ser notada para a partir disso, gerar mais emprego e girar a receita dentro da própria baixada.

Eu ainda estava na TV Globo quando os anúncios nas redes sociais começaram a me chamar a atenção, comecei a pesquisar sobre o assunto e virou pauta para as nossas conversas. Comecei a estudar e a “destravar” cada etapa de conhecimento como quem passe de fase em um videogame. A Cris me achava louco, mas apoiava cada surto e continuava ao meu lado.

Aí a “Agência #TudoNosso” nasceu!

Do desejo de ver os pequenos empreendedores serem vistos dentro e fora da sua região; fortalecer a economia do bairro, da cidade, da periferia. Aquela vontade de ver o moço do churrasquinho crescer!

Largamos nossos empregos e decidimos abrir esse escritório de comunicação em Morro Agudo, nossa “quebrada” em Nova Iguaçu. Imagine uma agência digital inventada (digo inventada porque a gente não tinha a menor ideia do que estava aprontando). Uma agência de comunicação pensada para outros micro e pequenos empreendedores populares.

A lógica era e sempre será simples: as grandes marcas e seus grandes budgets  sempre tiveram uma agência digital (quando não full) para recorrer e “fazer a sua marca acontecer”. E os micros? E os pequenos? E a pizzaria do bairro que emprega várias pessoas e precisa expandir os seus negócios através do marketing?

Crescendo aos poucos

Inicialmente erramos muito na precificação do serviço para os empreendedores. Éramos movidos somente por paixão e por isso desprezamos os custos de operação do negócios. Hoje, continuamos movidos por paixão, mas aprimoramos nossa estratégia comercial.

As maiores dificuldades foram: provar para os micro e pequenos empreendedores que valia a pena investir em mídias socais, que isso traria ótimos resultados para os seus negócios (imagine convencer, em 2014, o comerciante popular a investir R$2 no Faceook?); A inadimplência era muito recorrente, mesmo com clientes cujas receitas cresciam depois dos nossos serviços. Estudamos mais um pouco, melhoramos nosso contrato e otimizamos o processo de venda para assinar apenas com o cliente “mais certo”.

Seguimos trabalhando, ajudando a melhorar os pequenos negócios, ganhando reconhecimento e conquistando clientes em outras cidades, estados e até fora do país. Conquistamos nosso primeiro cliente no Chile, tivemos nosso trabalho reconhecido pelo  Facebook Brasil e nos tornamos membros do Facebook SMB Cliente Council Brasil. Recentemente começamos a mirar em empresas de pequeno/médio porte e crescemos mais de 100% no último ano.

Hoje, mais de 200 famílias dependem diretamente dos negócios dos nossos clientes. A maioria esmagadora não possui um departamento de marketing ou outras ações de publicidade e propaganda e apoia o reconhecimento da marca 100% em nosso trabalho. A responsabilidade pesa, por isso, não somente o nosso negócio cresceu. Também precisamos passar por transformações. Nos tornamos mais maduros, capacitados, seguros e preparados para escalar o atendimento com muita responsabilidade. Esperamos nos transformar na principal referência em consultoria e gestão de redes sociais para pequenos negócios e empreendedores de todo o Brasil.

Cases

1 – Viaja Brasil Turismo Chileno. Tem uma matéria de sucesso case muito legal no blog do próprio Facebook sobre este case. Aqui:  https://www.facebook.com/business/news/turism-brazil-roi

2 – D & D Choperia e Pizzaria.  Trata-se de um negócio local da periferia  de Nova Iguaçu. Há quase 2 anos com a gente, a “casa” atribui à #TudoNosso um crescimento de 30% nos 3 primeiros meses de trabalho. Recentemente, a campanha do seu rodízio de pizzas trouxe um maravilhoso resultado e lotou o estabelecimento de novos clientes durante as terças-feiras de julho, agosto e setembro de 2017.

Desafios

Apesar do crescimento, da contratação de pessoas, da mudança do escritório para um local maior, escalar o serviço ainda é uma demanda pesada, já que ainda somos uma agência com foco em garantir acesso democrático a um trabalho especializado em social media. Mesmo com a atualização da nossa taxa, o cliente mais antigo paga valores que são apenas 1/3 do que o cliente mais novo paga, deixando o ticket médio ainda um pouco baixo. No entanto, é uma  situação que está sendo resolvida a cada novo cliente. Não achamos justo reajustar 300% na taxa de um cliente que acreditou me nosso trabalho quando ninguém acreditava somente para faturar mais. Mas quem entra, precisa pagar um pouco mais.

Além do trabalho de gestão, recentemente mantivemos focos e esforços nas consultorias de gestão de Facebook Ads, o nosso melhor produto, no momento. Além disso, aproveitamos o reconhecimento adquirido e investimos em workshops e treinamentos com baixo investimento para empreendedores, estudantes e profissionais da área. Já capacitamos mais de 780 pessoas e ajudamos a crescer os negócios de 57 empresas aqui no Brasil, Chile e Argentina. Empregamos talentos da própria região e, sim, queremos continuar a crescer até nos tornarmos a maior referência em consultoria e gestão de social media para micro e pequenos negócios do Brasil.

O que os mantém motivados

Poder garantir um espaço de disputa real a quem sempre foi negligenciado pelo tradicional modelo de negócios de agências de publicidade/marketing; ver o crescimento sócio econômico do nosso território; expor a potência inovadora de negócios criados a partir das periferias brasileiras; as 200 famílias que dependem indiretamente do sucesso de nossas estratégias…

 

Fonte: http://www.proxxima.com.br/home/proxxima/blog-do-pyr/2017/10/03/agencia-digital-de-nova-iguacu-transforma-negocios-em-inclusao-social.html

Anúncios

Sérgio Mallandro em campanha do Serasa para alertar sobre fraudes em CPF

Imagina você descobrir que seu nome está sujo e ainda por cima por fraude. Tenso, né?! A partir dessa situação que infelizmente é bastante comum atualmente, a Serasa do Consumidor criou a campanha para divulgar o Serasa Antifraude, o serviço de monitoramento de CPF da empresa. Para estrelar a campanha, Sérgio Mallandro, Felipe Torres e Adriano Silva foram convidados para representar o desespero que é descobrir a fraude. O vídeo foi inspirado em filmes policiais onde os cantores do grupo Hermes e Renato interpretaram detetives indo atrás de um cidadão para cobrar suas multas. Confira o primeiro vídeo da campanha:

A campanha é composta por mais dois vídeos e durante três meses serão veiculados nos canais Globo, Band, Globosat e Discovery, além de spots de rádio e anúncio em pontos de ônibus. O segundo filme vai ao ar dia 23 de outubro.

 

Fonte: http://www.meioemensagem.com.br/home/ultimas-noticias/2017/09/25/sergio-malandro-estreia-campanha-do-serasa-consumidor.html

Marcas que apoiam o movimento #DiaMundialSemCarro

Criado na França, o Dia Mundial Sem Carro todo ano incentiva os meios alternativos de transporte, afim de ser um dia a menos de poluição e contribuição ao meio ambiente, os transportes públicos são boas opções para quem vai aderir ao movimento.

Separamos algumas campanhas novas e antigas de marcas sobre o assunto, comente e marque seus amigos.

O Mc Donald’s vai abrir o drive-thru para você chegar do jeito que quiser, além de “chamar geral para curtir esse dia” pelas lojas. E cá entre nós, dá pra ficar sem carro, mas não dá pra ficar sem McDonald’s #DiaMundialSemCarroNoDrive.

 

O Greenpeace Brasil publicou uma obra de Galhardo na página do Facebook, no post eles colocaram: “Reduzir o uso do carro faz bem para a saúde, o bolso, a cidade e o planeta. Que tal começar a dieta do volante hoje? #DiaMundialSemCarro

 

A empresa de bebida alcoólica 51 Ice falou do assunto de forma divertida lembrando que hoje é o  “dia que todo mundo troca seus automóveis por outro meio de locomoção para evitar jogar mais poluentes na camada de ozônio. Claro, se você tá no rolê aproveitando uma #51ICE já é pra ir sem carro, não é mesmo?”

No vídeo, a marca sugere diversas formas alternativas para chegar até o “rolê”.

 

A SuperVia, serviço de transporte no Rio de Janeiro não poderia deixar de comentar sobre o assunto e mostrou quanto dá pra economizar usando os trens em vez de carro.

 

Em 2016 a Volvo mostrou-se sob o conceito “Pensar como um sueco não é só produzir carros. É também pensar nas pessoas” Criada pela Grey Brasil, as concessionárias da Avenida Europa, Zona Oeste da cidade, se transformaram em uma exibição de bikes em vez dos luxuosos automóveis da marca, com direito a test drive e tudo.

 

A marca que já participa do movimento fez esse anúncio em 2014, sim, é um anúncio de carro sem carro.

 

Em 2011 o MetrôRio deixou sua marca, uma ação que distribuiu pela cidade milhares de folhas que foram coletadas nas ruas, com uma mensagem impressa pedindo aos motoristas optarem pelo Metrô. A natureza pedindo pela própria natureza.

 

Fonte: http://adnews.com.br/publicidade/marcas-mostram-seu-apoio-ao-dia-mundial-sem-carro.html

 

 

 

Google revela algoritmo que remove totalmente marcas d’água de imagens

Sabe quando você está criando aquela peça dahora e precisa de uma imagem específica, as vezes até encontra mas vê que tem aquela marca d’água que joga tudo literalmente por água a baixo? Seus problemas acabaram!

A Google revelou em junho que existe um algoritmo capaz de remover a marca d’água aplicada a qualquer fotografia, o que foi um grande susto aos grandes bancos de imagem que veem o fim próximo.

Hoje em dia até dá pra tirar a marca d’água de algumas imagens com edição no Photoshop, mas é uma tarefa bastante difícil e que requer tempo. A ferramenta promete dar fim ao mercado de compra e venda de fotos e otimizar o tempo dos designers. O programa do Google identificou qual é o pixel dessas marcas, para conseguir remover quase que cirurgicamente.

Até agora a Google só usou a ferramenta para fins investigativos, mas já tem uma pulga atrás da orelha das grandes empresas de imagens.

Último dia de inscrições do Festival do Clube de Criação edição 2017

A Categoria Estudantes da edição de 2017 recebe inscrições somente até hoje (14)!

A partir desse ano, as inscrições serão totalmente online, facilitando a participação de estudantes de fora de São Paulo e evitar gastos com a impressão das peças. (Vamos salvar a Amazônia)

Este ano, a AlmapBBDO é a madrinha da categoria, e o melhor, os participantes que ganharem medalha de ouro na competição ganharam estágios na agência.

briefing este ano quer que os participantes criem uma campanha com o objetivo de aumentar a procura pelos restaurantes saudáveis disponíveis na plataforma online de delivery de comida iFood.

Como a maior parte dos pedidos recebidos pelo aplicativo é formada por pizzas, hambúrgueres e comida chinesa, a ideia é mostrar que as opções do iFood são bem mais variadas.

Inscreva-se, confira o briefing completo e o regulamento da Categoria Estudantes 2017aqui.

 

Fonte: http://www.clubedecriacao.com.br/ultimas/categoria-estudantes-2/

Pães e bolos em comercial stop-motion cantando Paul McCartney

Para divulgar a estreia do reality “The Great British Bake Off”, a 4Creative, a agência in house do canal Channel 4 colocou pães e bolos para cantar enquanto eram assados. São 335 personagens panificados que cantam a música de Paul McCartney, “We All stand Together”.

Todo o processo desde os ingredientes até a receita pronta, foi feito em stop-motion. A agência responsável pela campanha, foi vencedora em Cannes com “Meet the Superhumans”.

Assista:

 

Fonte: http://www.b9.com.br/76951/paes-e-bolos-cantam-paul-mccartney-em-comercial-stop-motion/

Guia básico do publicitário freelancer

Hoje em dia fazer o famoso freela pode ser por necessidade ou opção e é que é uma área está em constante crescimento. Com um mercado publicitário mais dinâmico e adaptável, ser um freelancer está em alta e vale muito a pena.

Para Marcelo Vaz, atual diretor de arte da NBS, e que antes de conquistar o cargo atual trabalhou como freelancer para a agência, a dinâmica atual da profissão e a possibilidade de trabalhar para vários projetos diferentes, enriquece o repertório dos profissionais. “O fato de trabalharmos com diversas marcas e produtos, de cervejas a empresas financeiras, de absorventes a hospitais, nos obriga a saber sobre um pouco de tudo. Isso nos torna mais atentos e também mais soltos”, diz Vaz.

De acordo com Rafael Carvalho, que hoje em dia atua como freelancer, o mais importante para um freela é se manter visível. Divulgar trabalhos nas redes e se manter próximo a sua rede. “Passei quatro anos trabalhando alocado em uma empresa e meses atrás foi o momento de retomar contatos e possibilidades. Neste momento, uma boa rede profissional e pessoas que acompanharam meu trabalho ao longo do tempo, mesmo que só pelas redes sociais, por isso vejo como importante manter redes atualizadas da melhor maneira possível”, diz Rafael.

Para ambos, trabalhar como freelancer não tem a ver com o perfil, mas sim à capacidade de organização. Veja algumas dicas legais para quem está entrando agora no negócio:

Esteja visível

Estar visível pode parecer fácil na era que estamos em que tudo se expõe nas redes sociais. Mas aparecer para as pessoas certas pode ser uma tarefa não tão fácil, é importante dar movimento ao seu trabalho, encontrar pessoas e redes que possam te ajudar a se tornar notável.

Transição gradual

Caso escolha a carreira do freela, não se precipite. Para a maioria dos freelancers que estão no mercado há mais tempo, o segredo é entrar aos poucos, com cuidado. Ainda com um emprego fixo, comece a construir uma base de contatos e vá observando qual momento ideal para ficar por conta própria.

Imagem relacionada

 

Novos cálculos

A variação do salário de um freelancer pode se considerar um dos maiores desafios. Não existe o fixo mensal, por isso é tão importante a organização e se adaptar para a nova forma de ganhar dinheiro. Pode ser que em alguns períodos, não entre nada, em outros você poderá fazer ‘seu pé de meia’.

Resultado de imagem para freelancer

Prudência no custo/hora

É importantíssimo saber o seu valor, cobrar mais ou menos por um job pode passar uma má impressão, é aconselhável conversar com amigos da área e profissionais de outras empresas, para saber a média das agências e tentar chegar um meio termo.

 

Ambiente de trabalho

Por último, mas não menos importante, o ambiente de trabalho pode te ajudar bastante na hora de se mostrar ao mundo. Nem sempre ficar trancado em casa pode ser uma boa escolha, um freela precisa circular, atualmente, dada a quantidade de coworkings e espaços de inovação em várias cidades, é possível fazer isso de uma forma útil e sem grandes custos.

Resultado de imagem para freelancer