Ainda vale a pena estudar publicidade?

“Se você tem vontade de ver coisas incríveis acontecendo, histórias que jamais achou que poderia ver, essa é sua profissão” A frase, com uma boa dose de otimismo é de Ricardo Ribeiro, diretor sênior de arte da agência Rapp Brasil. Por mais que o curso não esteja nos topos de procuras quando faz o vestibular, publicidade se desassociou apenas a comerciais de TV e passou a ser estudo sobre o comportamento humano.

Neste contexto, Ribeiro justifica seu entusiasmo com a profissão não pelo glamour de antes, mas pelas dezenas de oportunidades que ela traz. “A trilha pode ser turbulenta e o caminho longo, mas a descoberta é de que existe um mundo a ser conquistado. Publicidade continua sendo uma área em que você vai enxergar o nascimento de campanhas e projetos e conhecer pessoas com muito conhecimento”, diz Ribeiro.

O gerente de planejamento da Mutato, Nicolas Henrique observa o mercado mais aberto à novas possibilidades “Isso é muito interessante e promissor para o recém-formado, porque possibilita testar e encontrar novas áreas e possibilidades que antes não existiam” Segundo Henriques, entre essas áreas de oportunidade estão produtoras de conteúdo; agências de mídia de performance e programática.

Segundo Nicolas, as empresas estão entendendo cada vez mais as estratégias de conteúdo. “Trabalhando de um novo jeito dentro do próprio cliente; institutos de pesquisa que entregam além do comportamento; escritórios de design thinking e consultorias excelentes para entregas específicas; em resumo, uma série de atividades e funções novas começam a surgir no cenário para quem está começando”, observa.

Ainda de acordo com Henriques, existem alguns velhos conceitos sobre publicidade que já não funcionam como antigamente. “Devemos parar de glamourizar o excesso de trabalho, aquela questão de viver a vida na agência e achar que isso se traduz em grandes entregas, assim como também acreditar que tudo deve ser criado pensando em levar prêmios. O mais interessante hoje é pensar que devemos sempre buscar entender o outro, o diferente, sairmos de nossa pequena, mas resistente, bolha publicitária e nos fiarmos muito em números, dados, pesquisas para alimentar nossa criatividade”, diz ele.

Gustavo Bonfiglioli e Ariel Nobre, sócios da Pajubá Diversidade em Rede, alertam que a pauta da diversidade é outro tema importante para a publicidade e vem ganhando cada vez mais visibilidade, logo deve estar no radar de quem tem interesse pela profissão. “Mas enquanto muito planner e cliente insiste em enxergar a diversidade como uma oportunidade conjuntural, as vozes de mulheres, pessoas negras, LGBTQIAs e outras minorias revelam que a questão é muito mais profunda e estrutural: trata-se de legitimar a existência de pessoas que sempre estiveram à margem do mercado”, afirmam Bonfiglioli e Nobre.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s