No Dia Mundial do Rádio, os spots que marcaram a história da publicidade

Nesta segunda-feira, 13 de Fevereiro, comemora-se o Dia Mundial do Rádio. Sendo assim, falaremos, hoje, sobre o surgimento e importância do rádio como veículo de comunicação de massa, além de apresentarmos os principais spots que marcaram a história da publicidade.

O rádio foi o primeiro veículo de transmissão de informações. Nasceu no Brasil em 1922, tendo tido como primeira transmissão o discurso do presidente Epitácio Pessoa na comemoração ao centenário da Independência do país. Roquette Pinto, conhecido como o pai da radiodifusão no Brasil, entusiasmado com as transmissões, convenceu a Academia Brasileira de Ciências, da qual fazia parte, a patrocinar a criação da Rádio Sociedade do Rio de Janeiro.

Este veículo foi usado inicialmente para a difusão de informações para os analfabetos, para isso Roquette Pinto lia o jornal impresso em suas transmissões. Além das informações, os rádios, também, adquiriram grande audiência através das radio novelas.

A publicidade surgiu na rádio como meio de sobrevivência, pois donos de lojas e comerciantes davam dinheiro para que as rádios falassem bem de suas marcas e produtos. Com o passar do tempo, a publicidade mudou sua abordagem, passando a criar spots para vender produtos por meio do rádio.

Confira abaixo as opiniões dos executivos das grandes agências sobre os principais trabalhos nesse meio:

Ricardo “Dona” Martin, diretor de ciação da Giovanni+Draftfcb

“Sem dúvida, um spot inesquecível é o da loja de relógios ‘Top Time’. Eu ouvia este spot ainda criança e nunca mais me esqueci. Era de uma simplicidade absurda. O spot usava a onomatopeia tic-tac, porém substituía as palavras originais por ‘Top Time’, isto na voz de uma locutora sensual e sofisticada que repetia diversas vezes o mantra ‘Top Time Relógios. Hoje, muitas pessoas achariam o spot brega, mas a verdade é que, além de genial, só de citá-lo aposto que qualquer mortal com mais de 35 anos já lembrou claramente.”

 

Aricio Fortes e Paulo Coelho, diretores de criação da Africa 
“Pipoca com Guaraná. O produto continua sendo reconhecido por este jingle, e até hoje escutamos clientes querendo que façamos algo deste tipo para suas marcas”

Ricardo John, CCO da JWT
“Quando se trabalha na agência que inventou o jingle publicitário, o rádio é tudo, menos um coadjuvante nas estratégias de comunicação de nossos clientes. E falando em rádio como vedete na comunicação, o clássico jingle de Pernambucanas ‘Não adianta bater,que eu nao deixo você entrar. Na Pernambucanas, eu nem vou sentir o inverno passar’ está ai até hoje. Seja na tv, seja no rádio, seja na memória afetiva da grande maioria dos brasileiros.”

Leonardo Pitanga, redator da NBS
“Um dos spots preferidos é ‘Só um cachorro’, criado pela Publicis para Purina. O roteiro bem escrito e o humor são a chave para prender a atenção do ouvinte. Mas, a melhor história sobre rádio foi uma que eu não ouvi. No final dos anos 30, Orson Welles produziu uma transmissão de rádio intitulada “Guerra dos Mundos” e provocou pânico nos ouvintes que imaginavam estar sendo atacados por extraterrestres.”

 

Fonte: Meio&Mensagem

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s