Marcia Peltier entrevista Marcos Calliari

Marcos Calliari é formado em economia pela FEA-USP, com Pós-Graduação em Marketing também pela USP e em Estratégia no INSEAD, na França. Foi um dos fundadores da Agência Namosca, especializada em marketing para o público jovem e também é professor do IBMEC-SP.

Ele é um dos autores do livro “Código Y: decifrando a Geração que está mudando o Brasil’’. O livro traz uma extensa pesquisa sobre os jovens nascidos entre 1980 e 1995 no Brasil, como se comportam e interagem com os estímulos da vida moderna.

A seguir um trecho da entrevista que Calliari concedeu a Marcia Peltier:

Mas como se define a tal “Geração Y”?

Este termo Geração Y foi criado para denominar os jovens entre 15 e 32 anos de idade, que são a geração que veio depois dos baby-boomers e da Geração X, que foram as duas outras etapas geracionais que precederam os Y.

E quais as características dessas gerações anteriores?

 Os baby-boomers nasceram logo após a Segunda Guerra Mundial. Representam um mundo de otimismo, devido ao fim da guerra. É uma geração que nasceu sobre um regime de muita autoridade na sociedade na família, na escola… Mas, foi também uma geração que quebrou padrões de comportamento, como a revolução sexual, a ida da mulher para o mercado de trabalho, mais liberdade de escolha para os jovens e etc.

 E a Geração X?

Os X geralmente são filhos dos baby-boomers… São uma geração que também nasceu com a questão da hierarquia, tinham o pai ainda chefe de família, é uma geração que sabe lidar melhor com a frustração.

E os Y?

Essa geração não aceita hierarquia. Eles não tiveram mais o pai como centro de poder na família. E com o avanço das novas tecnologias, que eles dominam mais, acabam sendo a grande fonte de informação da família, na hora de, por exemplo, dar as dicas de como comprar um carro ou em que hotel se hospedar numa viagem. Eu digo que se a família hoje tem um chefe, é o jovem.

 E em relação ao mercado de trabalho?

É uma geração que, como eu falei, não aceita a hierarquia. Ela crê na meritocracia. Por isso, as empresas precisam se adaptar a eles, já que é uma geração que tem muito talento, principalmente na área do uso de ferramentas tecnológicas.

E quais seriam os grandes problemas desta geração?

Creio que a superficialidade é um. Eles não conseguem se aprofundar muito nos temas. Ela nasceu num mundo de ”hiperlinks”. É uma geração que não aprende ouvindo, ela é cinestésica, isso cria de cara um problema para os modelos de educação que ainda se usam hoje nas escolas, que parecem estar ainda, sem qualquer exagero, no ano de 1200…

E questão da hiperexposição?

Essa é uma geração que não vê limites entre a vida privada e a vida pública… Acha que tem que compartilhar tudo, expor sua intimidade nas redes sociais e etc. E, é uma geração também extremamente narcisista.

No programa, Marcos fala ainda da “Geração Z’’, a geração que tem  menos de 15 anos de idade hoje e que vai suceder os Y.

Não perca Marcos Calliari no Marcia Peltier Entrevista, direto da Casa de Arte e Cultura Julieta de Serpa, hoje às 22:30 hrs, na CNT.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s