Revista de 2 metros derrete na Av. Paulista para alertar sobre o aquecimento global

O mundo está se modificando ao passar do tempo, as mudanças climáticas estão cada vez mais severas e a Antártida derrete mais a cada ano, mas por ser um problema distante, as pessoas dão menos importância. Para alertar sobre o aquecimento global, a National Geografic criou uma ação com a Spokesman no último dia 6 em que tem uma capa de revista de 2 metros derretendo, com o título de “A Antártida Derrete” em plena Av. Paulista.

A primeira ação neste formato teve Live no Facebook e alcançou 103 mil usuários. Nas transmissões ainda houve um bate-papo com Ronaldo Ribeiro, editor da revista, Vivian Pellizari, professora da Oceanografia da Universidade de São Paulo, e Camila Signori, oceanógrafa, sobre o degelo do continente.  Confira:

O painel gelado ficará exposto por pouco tempo, para mostrar a urgência da causa. “Temos um compromisso histórico com a divulgação das mais relevantes pesquisas científicas. Nos últimos três anos, foram mais de 30 reportagens sobre o tema. O empenho da revista é entender – e ajudar o leitor a entender – todas essas transformações ambientais, buscando descobrir um modo de vida mais sustentável”, disse Fernando Dias Martins, publisher da revista.

UberEATS e Brahma Extra vão distribuir cerveja nesta quinta feira

A Brahma Extra e o UberEATS farão, nesta quinta-feira (6), o UberExtra, uma parceria que leva dicas de combinações para os pratos disponíveis no aplicativo de delivery e distribuir gratuitamente Brahma Extra, nas variantes Lager, Red Lager e Weiss.

Quem pedir pelo UberEATS, vai receber a cerveja em casa. O app atua em São Paulo desde dezembro e chega, também nesta quinta, ao Rio e BH. A entrega está limitada à duração dos estoques. Serão 30 mil packs distribuídos.

Para receber o kit com as três versões da nova Brahma Extra, basta baixar o app do UberEATS, preencher o cadastro e procurar pela loja da Brahma Extra. Depois, é só selecionar o kit, fechar o pedido e pronto: um conjunto com três cervejas estará a caminho, sem nenhum custo – nem mesmo o da taxa de entrega. O pedido virá acompanhado com um guia especial mostrando as possíveis combinações de cada uma com comida. Além disso, os consumidores poderão abrir, no próprio aplicativo, uma aba que traz indicações de pratos disponíveis no UberEATS que podem ser harmonizados.

“Com essa ação, os usuários do UberEATS em São Paulo e os novos usuários, no Rio e em Belo Horizonte, terão uma experiência que eleva à máxima potência toda a tecnologia por trás da plataforma. Além de poderem fazer o seu pedido ao toque de um botão, eles poderão acessar, dentro do próprio app, uma seleção de pratos que melhor combinam com cada uma das opções de Brahma Extra”, afirma Delon White, diretor-geral do UberEATS no Brasil.

Material da Escola de Bauhaus está disponível gratuitamente para download

Bauhaus foi uma escola de artes da Alemanha, fundada em 1919 pelo arquiteto Walter Gropius, em Weimar. Lá encontrava-se diversas matérias como: arquitetura, pintura, escultura, desenho industrial e foi a responsável por revolucionar o design moderno.

O visual limpo e simples que muitas marcas aderiram surgiu a partir dos estudos desenvolvidos em Bauhaus. A escola foi fechada por Adolf Hitler, em 1933, mas hoje é possível baixar gratuitamente alguns dos materiais da escola graças à Biblioteca Kandinsky, que disponibilizou o material (mas tudo está em alemão). Para conferir, clique aqui.

Caso tenha dificuldades para baixar os arquivos, clique no título da obra, na ficha técnica, selecione a opção “accéder au document numérique” e tcharannn! Você será direcionado para a página com pdf.

A importância de um bom slogan

Slogan é um dos principais elementos de uma campanha, é o que vai fixar a marca na cabeça do público e gerar uma identidade. Os slogans, se bem criados, são capazes de ficarem na boca do povo por décadas.

Mas o que é um Slogan?

Ele é mais que uma frase criativa, tem a função de fazer o público lembrar da marca, geralmente com poucas palavras e fácil memorização. Muitos usam o argumento de ordem e pedido de venda, posicionando a marca de forma descontraída no mercado. O slogan é tão incrível que, ao conferir a lista a seguir, você pode reviver emoções e momentos do passado, até lembrar a voz do locutor comprovando seu poder na publicidade.

Os slogans famosos são:

Pergunta no Posto Ipiranga

Não esqueça a minha Caloi

Quem pede um, pede Bis

Tomou Doril, a dor sumiu

O caldo nobre da galinha azul (Maggi)

Tem 1001 utilidades (Bombril)

A número 1 / Refresca até pensamento (Brahma)

A cerveja que desce redondo (Skol)

Quem disse que não dá? Na Fininvest dá

Abuse, Use (C&A)

É impossível comer um só (Cheetos)

Dê férias para seus pés (Rider)

Todo mundo usa / As legítimas (Havaianas)

A verdadeira maionese (Hellman´s)

Se é Bayer, é bom

Energia que dá gosto (Nescau)

Simples assim (Oi)

Faz do leite uma alegria (Quick)

Terrível contra os insetos. Contra os insetos (SBP)

Viver sem fronteiras (Tim)

O sol na medida certa (Sundown)

Você conhece, você confia (Volkswagem)

Redbull te dá asas!

Deu duro, tome um Dreher

Ligadona em você (Arapuã)

Apesar de ser curto, um slogan dá um trabalhão para ser criado, pois ele tem a responsabilidade de passar a verdade do produto ou serviço. Quando falha, o público pode usá-lo contra a marca, como aconteceu com a Tim, quando a conexão da maioria dos clientes caía e piadas com a “fronteira” foram bem comuns nas mídias sociais.

Esporte, arte e cultura: Nike transforma quadra de basquete em ponto turístico em Paris

Esporte, arte e cultura são elementos fundamentais para uma sociedade melhor, mas parece uma tarefa complicada juntar os três conceitos em uma única coisa. A partir de uma ideia simples e genial, a Nike conquistou a mídia espontânea e ressaltou as marcas por trás do trabalho realizado no boêmio bairro de Pigalle, em Paris: uma loja de modas vizinha do local da ação, com o III-estúdio.

O projeto é uma incrível e colorida revitalização de uma quadra de basquete, localizada entre dois blocos residenciais históricos da capital francesa. As cores que antes eram desbotadas e agredidas pelo tempo foram coloridas com gradientes em azul, rosa, roxo e laranja. O resultado é tão positivo que já começou a atrair turistas e o público local para visitar, jogar e tirar fotos, para a alegria dos instagrammers.

Confira as imagens abaixo clicadas por Sébastien Michelini.

Você sabe quanto custou alguns logos famosos?

Você já parou para pensar em quem criou os logos mais famosas e o quanto essas pessoas ganharam por isso? Agora imagina criar uma logo para uma marca e depois de algum tempo essa marca ser uma das mais famosas e bem-sucedidas do mundo e que você perdeu uma grande chance de ter ficado milionário. Foi o que aconteceu com a designer americana Carolyn Davidson, responsável por criar o icônico logo da Nike.

Na época da criação ela só recebeu 35 dólares pelo trabalho, a fama e reconhecimento vieram mais tarde. E a Nike não gastou milhões de dólares e muitos meses pensando no logo perfeito, tudo foi trabalho de uma única pessoa e poucas horas.

Em 1971, Carolyn era uma estudante de design gráfico da Portland State University. Ela conheceu, então, Phil Knight, um professor assistente da universidade que estava criando uma nova companhia de tênis esportivos e precisava do seu logo. Essa empresa viria a ser a Nike. Phil pagou dois dólares por hora para a jovem estudante desenhar a marca do seu negócio.

Carolyn veio com a ideia do Nike Swoosh, a marca de “checado” ou “correto” que indicava movimento e velocidade. Também parecia uma asa, que remetia à deusa grega Nike, a deusa da vitória. Como ela gastou apenas 17 horas e meia no projeto, recebeu 35 dólares. Ainda demoraria alguns anos para que todos percebessem o quanto aquele simples símbolo representaria para a história do design e do marketing.

Mais tarde, em 1983, a sua contribuição essencial para a Nike foi reconhecida: ganhou uma festa surpresa em sua homenagem. Ela ainda recebeu 500 ações da empresa e foi presenteada com um anel de ouro e diamantes que trazia, claro, o Nike Swoosh.

E agora, ficou aquela curiosidade pra saber quanto custou outros logos famosos, né?!
Separamos alguns para você.

 

  1. Pepsi

O novo logo da Pepsi foi desenhado pelo Grupo Arnell, uma reconhecida empresa de design e criação de marcas, em 2008. O preço inclui um pacote completo de renovação de marca, embora ninguém tenha reparado muito isso. O logo custou 1.000,000 de dólares

 

  1. Coca-Cola

O famoso logo da Coca-Cola foi criado por Frank Mason Robinson, em 1885. Na época, Mason era escriturário de John Pemberton, o criador da bebida, e teve a ideia de fazer o logo com a letra cursiva. A fonte usada, conhecida como Spencerian Script, foi desenvolvida no meio do século 19 e era a forma dominante da escrita à mão nos Estados Unidos na época. E não custou absolutamente nada.

 

  1. Google

Criado em 1998 por Sergey Brin, um dos próprios fundadores da companhia. O logo já sofreu algumas alterações, mas nada que tirasse o conceito e identidade da marca. O logotipo também ganha versões divertidas em datas especiais, que são chamadas de doodles. Como foi feito por um dos fundadores, o logo não custou nada.

 

  1. Olimpíadas de Londres 2012

Desenhado pela agência londrina de design de marcas Wollf Ollins, em 2007, o logo dos Jogos Olímpicos de Londres causou ~polêmica~. Teve gente que viu a suástica, pessoas em ato sexual e até a palavra “ZOR”. Foi cobrado pelo logo apenas 625.000 dólares.

 

 

 

 

 

Essa Coca é Fanta.

Sabe-se que existem inúmeras estratégias de marketing entre outras disciplinas para fortalecer a marca na cabeça do público alvo. Um deles é um pouco destacado embora tenha uma importância ímpar: o endomarketing. Mais do que mostrar que defende algo ou algum movimento, a marca deve por isso em prática. Ciente disso, a Coca-Cola criou uma ação que chamou atenção positivamente para celebrar o Dia Internacional do Orgulho Gay.

A empresa distribuiu algumas latinhas de Coca-Cola para seus funcionários, todas elas com a mensagem: “Essa Coca-Cola é Fanta. E daí?”. A iniciativa se apropria do trocadilho homofóbico repercutido em todo o país, e o utiliza para combater justamente a questão do preconceito através da ação. As latas foram deixadas nas geladeiras do prédio da Coca, em Botafogo, na Zona Sul do Rio. Já tem gente na internet pedindo o item nas gôndolas, mas a empresa disse que não há planos para colocar o produto na rua.

“Criamos uma lata especial para reconhecer quem ignora rótulos, desafia os preconceitos e assume quem realmente é. Essa Coca é orgulho. Essa Coca é respeito. Essa Coca é Fanta”, diz a mensagem na parte de trás da embalagem. Além do refrigerante, os funcionários também receberam um e-mail ressaltando a necessidade de um mundo mais inclusivo.

E o mais interessante foi, realmente era Fanta!